vma2015

Conservadoria voluntária? Samuel Ingham submete pedidos de Britney ao tribunal

  • 2 de setembro de 2020

Ontem, 01 de Setembro, Samuel D. Ingham, o advogado de Britney Spears, submeteu ao tribunal de Los Angeles os pedidos de modificação na conservadoria solicitados pela cantora na última audiência. Conforme noticiamos, a Juíza do caso pediu uma maior documentação e formalização dos pedidos, e é isso que está acontecendo agora.

Nela, o advogado solicita que uma entidade autorizada a gerir uma companhia de truste seja a responsável para lidar com as finanças de Britney.

Curiosamente, vemos que a Conservadoria é descrita como VOLUNTÁRIA. Existem duas opções para marcar o motivo da existência jurídica do caso, e a marcada se descreve como: “incapacidade substancial de administrar suas finanças ou para resistir a fraudes ou influência indevida”, seguida de uma descrição feita pelo advogado: “Essa é uma conservadoria voluntária. A conservada (Britney) gostaria de exercer seu direito de nominar um novo tutor de seu estado de acordo com a seção 1810 do Código de Sucessões. Uma solicitação assinada pessoalmente pela conservada está no anexo 3C.” A primeira opção, que é a que a maioria das pessoas pensavam ser o caso de Britney, está em branco. Ela diz: “incapaz incapaz de atender adequadamente às suas necessidades pessoais de saúde física, alimentação, roupas ou abrigo”.

Descrição da conservadoria como sendo voluntária.
Fortuna disponível para administração é de U$57 milhões, com dados de Dezembro/19

Na sequência, informam a empresa que Britney gostaria que cuidasse do seu dinheiro: Bessemer Trust Company. De acordo com o Wikipedia, a Bessemer é uma empresa criada em 1907 e administra um total de US$140 bilhões de mais de 2.500 famílias.

A empresa poderá fazer tudo com os mais de US$57 milhões de dólares que poderá administrar: pagar impostos, advogar, obter documentos, representar Britney nos mais diversos compromissos financeiros, entre outros. O que mais chamou atenção é que, caso o pedido seja acatado, eles também poderão solicitar ordens de restrição contra civis que achem potencialmente danosos financeiramente (como Sam Lutfi, por exemplo).

Permissões dadas a empresa Bessemer.

Eles também terão “poder e autorização para buscar oportunidades relacionadas a compromissos e atividades profissionais, incluindo, mas não se limitando a apresentações, gravações, vídeos, turnês, programas de TV e outras atividades semelhantes, desde que sejam aprovadas pelo conservador da pessoa e equipe médica do conservado.”

Por fim, petição assinada pela própria Britney.

Britney assina a petição.

Lembramos sempre que Britney Spears não está solicitando o fim da conservadoria (por enquanto), e sim a saída do seu pai como único tutor da sua conservadoria. Nessa petição, ela pede que ao invés de ser seu pai junto com o advogado as pessoas responsáveis por administrar sua fortuna, seja uma empresa especializada no assunto juntamente com o conservador – que no caso, pode ser o pai dela ou não. Na tutela que cuida da sua vida pessoal, Britney também está solicitando que o pai seja retirado como único tutor, sendo substituído por Jodi Montgomery. No final, se o desejo de Britney for atendido ficaremos assim:

  • Fortuna administrada por Bessemer Trust Company, com supervisão do Conservador (Jodi Montgomery)
  • Vida pessoal administrada por Jodi Montgomery

A Juiza do caso irá agora analisar os pedidos e decidir se acata ou não os pedidos.

Comentários do Facebook
Licença Creative Commons
Este texto autoral está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.britneyonline.com.br.