britney-pollstar

Matéria traduzida: revista Pollstar lança edição especial com a história de Britney em Vegas e curiosidades do início da carreira

  • 25 de outubro de 2018

A revista semanal Pollstar trouxe na sua edição de outubro, uma reportagem especial sobre toda a trajetória de Britney em Vegas, além de curiosidades do início de sua carreira. Foram entrevistados o empresário da cantora, Larry Rudolph, e seu atual agente, Rob Light. Confira a tradução completa:

Há uma boa razão para que em novembro de 2014, o comissário do condado de Clark, Steve Sisolak, presenteasse Britney Spears com uma chave para Las Vegas; por que toda vez que seu empresário Larry Rudolph, da Maverick Management, janta no Koi em Vegas, dizem a ele que seu dinheiro é bom pois as noites de residência fazem os negócios dispararem; ou porque o 5 de novembro na Cidade do Pecado é agora oficialmente o Britney Spears Day.

Tudo deriva da recordista de quatro anos, Britney Spears, com a “Piece of Me” em Las Vegas, no Axis Planet Hollywood (hoje Zappos Theater), que vendeu 1 milhão de ingressos no ano passado e arrecadou US$ 140 milhões ao longo de 250 shows. A jornada é uma das maiores bilheterias residenciais de Vegas, ao lado de Celine e Sir Elton John.

Agora, depois da turnê “Piece of Me” esgotada nos EUA e na Europa em 2018, Britney está de volta. Esta semana, ela anunciou de maneira espetacular a “Britney Domination”, sua nova residência de dois anos no Park Theater, maior (capacidade de 5.200 pessoas), no Park MGM e uma nova produção a ser lançada em fevereiro de 2019. E é tudo bem na hora do vigésimo aniversário do álbum de 1999 …Baby One More Time, faixa dessa artista icônica. Mas para alguns, pode haver razões muito mais práticas para o retorno de Britney a uma residência.

“O maior benefício de fazer uma residência é que é muito mais fácil para os meus filhos”, Spears diz à Pollstar. “Meus filhos são meu tudo, então ter um show em um lugar me dá mais tempo com eles. As residências também são mais fáceis para mim e para minha equipe. Pode ser cansativo e pode ser desorientador quando você viaja todos os dias – mas isso não quer dizer que não seja muito divertido também”.

Spears, 36 anos, é a pessoa que pode melhor falar sobre as diferenças entre show fixo e turnê: ela esteve em turnê, gravando e agitando a mídia durante toda a sua vida adulta, gerando uma carreira massiva de cidade em cidade, no mundo inteiro. De acordo com os relatórios da Pollstar Boxoffice, Britney gerou cerca de US$ 455 milhões com 442 shows e 6,2 milhões de ingressos vendidos, nenhum dos quais teria sido possível sem uma certa pessoa.

Britney e seu empresário Larry Rudolph

“Ela entrou no meu escritório com sua família quando tinha 13 anos”, lembra Larry Rudolph, que dirigiu Britney de 1998 a 2004 e novamente de 2008 até hoje. “Eles tocaram para mim algumas fitas VHS, que mostrava há quanto tempo ela estava no novo ‘Mickey Mouse Club’. Eu não sabia nada sobre isso – não estou falando sobre Annette Funicello. Eu então vi que ela tinha muito talento e mostrou ser promissora, mas ela tinha 13 anos de idade. E se você voltar e olhar os gráficos de 1995, verá que eles foram dominados na época pelo pop urbano. Não havia nenhuma jovem branca nas paradas pop. Isso tinha acabado alguns anos antes com a Tiffany”.

Alguns anos depois, de acordo com Rudolph, com um surto pop nas paradas de artistas como Spice Girls, Hanson e Backstreet Boys em pleno andamento, ele sentiu que “a porta estava aberta para um artista solo”. Rudolph, então um advogado, trouxe Spears, que agora tinha 15 anos, para Nova York com uma demonstração de seu canto em uma faixa de Whitney Houston, junto com outra música de Toni Braxton. Ele a lançou para quatro gravadoras diferentes, três das quais deixaram passar, mas a Jive Records, dirigida por Clive Calder – que Rudolph chama de “o ser humano mais bem sucedido que já viveu no mundo da música” e um “gênio dos negócios”– disse sim.

Resultado de imagem para britney jive records

Britney com sua equipe da Jive Records em 99: Karen McLellan, Michael Patt, Denise George, Jeff “JR” Rizzo, Britney, Joe Daddio, Jive President Barry Weiss, SVP Joe Riccitelli e Larry Rudolph.

Há boas razões para as aclamações de Rudolph: Foi Calder quem reconheceu os talentos administrativos de Rudolph e disse a ele que, “apesar de não achar que você é um gerente, você é um gerente”, e começou a ajudar a guiar sua carreira. “Ele ligava para mim algumas vezes por semana”, lembra Rudolph, “e me dizia para ir vê-lo. Nós passávamos horas e horas juntos ouvindo música, revisando os planos de marketing, repassando tudo relacionado a Britney. Ele estava muito comprometido, assim como eu”.

No final da década de 1990, Rudolph diz que estava ouvindo Robyn, a gênia do pop sueco cujas canções foram produzidas pelo colega sueco Max Martin [Nota do BritneyOnline.com.br: anos mais tarde, Robyn emprestou seus vocais para a faixa “Piece of Me”. É ela quem canta os “U wanna a Piece of Me” em voz grave e aguda aos finais de cada frase do refrão].

Resultado de imagem para RobynRobyn / Divulgação / Papel Pop

Calder descobriu que tinha negócios com Martin através da Zomba Music Publishing e uma canção que ele havia escrito, que foi rejeitada pelo grupo TLC, chamada “… Baby One More Time”, que permaneceu sem ser gravada. Depois de uma guerra de lances com o amigo de Rudolph e seu então concorrente Simon Cowell, Spears em março de 1998 voou para a Cheiron Studios em Estocolmo, na Suécia, para gravar a música.

“Nós lançamos o single ‘… Baby One More Time’ em setembro ou outubro de 98, e depois o álbum em janeiro de 99, e ambos foram um enorme sucesso”Isso pode ser uma espécie de eufemismo considerando que o álbum vendeu mais mais de 25 milhões de cópias e o grande impacto que Britney teria na música, na cultura e no mundo em geral.

É difícil entender, então, que em sua primeira turnê, Spears se apresentou em shoppings de todo o país com apenas dois dançarinos de apoio. “Nós estávamos tipo, se levarmos Britney para os shoppings, que é onde a América mora, e eles a verem, eles vão se conectar com ela”, diz Rudolph. “Eu me lembro de ir a um desses shows na Macy’s Herald Square em Nova York. Nós estávamos nos apresentando no meio da seção da Calvin Klein e havia prateleiras de roupas íntimas ao nosso redor. As pessoas estavam apenas fazendo compras e não percebendo que a três metros de distância estava Britney Spears, prestes a se tornar a maior estrela do mundo ”.

The Park Theater no Park MGM onde Britney fará sua nova residência

A primeira turnê de Spears foi para o *NSYNC em 1998, que Rudolph descreveu como um “favor”. Mas foi nessa turnê, depois que o vídeo ‘…Baby One More Time’ foi lançado, que tudo mudou. “De repente, ela passou de desconhecida para todo o mundo a conhece”, diz ele. Eu vi a mudança no dia-a-dia, mas quase da noite para o dia. Você veria isso passando de 5% para 15%, depois 50%, para 75% e 100%. No final dessa pequena turnê, em que ela só fez três ou quatro músicas sem produção alguma, o álbum estreou em primeiro lugar e ela era uma grande estrela por conta própria. Então nós planejamos sua primeira turnê principal. ”

Os críticos podem dizer o que quiserem sobre o catálogo repleto de hits de Britney Spears, mas o que a separa do pacote pop é sua capacidade sobrenatural de se conectar com os fãs, seja em gravações, vídeos e especialmente ao vivo.

“Você pode ensinar as pessoas a cantar, você pode ensiná-las a dançar, você pode escrever uma piada para elas dizerem, mas você não pode ensinar carisma”, diz Rob Light, diretor da CAA Music e agente de Britney nos últimos sete anos. “Você tem ou não tem e Britney Spears tem isso. Seu carisma enche a sala até a parede dos fundos. Ela sai e do jeito que ela anda, toda a sala está energizada. Ela não precisa dizer nada nem fazer nada”.

Mas encontrar o ambiente certo para esse presente, hoje em dia de mercados de turnê superaquecidos e mega festivais, não é tarefa fácil para uma artista do calibre de Spears no auge da maternidade, mas ainda em seu auge – é onde Rudolph e a perícia e visão de Light entraram em cena.

“Eu estava passando um bom tempo em Las Vegas e vendo uma grande transição nos padrões demográficos”, diz Rudolph, que desde cedo reconheceu um novo e emergente mercado da Cidade do Pecado. “Estava se afastando do tradicional casal de meia-idade, jantando, assistindo a um show, jogando um pouco e indo dormir, e pensei que se mudássemos o cenário para uma pessoa muito mais nova, com uma razão muito diferente para estar em Vegas, tudo mudaria”. O consumo para essa idade emergente de 20 e 30 e poucos anos, segundo Rudolph, era diferente: eles entram no hotel, vão direto para a piscina onde bebem, se divertem e ouvem os DJs; voltam para seu quarto, solicitam serviço de quarto (em vez de ir a restaurantes) e tiram uma soneca pré-balada; em seguida, acordam às 23h e passam a noite inteira sem bater em uma mesa de jogo. A visão da equipe de Britney era entrar nesse momento pré-balada.

Embora identificar um mercado emergente não seja algo fácil, ainda é mais difícil convencer os outros a investir em sua visão. Felizmente, Light, que reservou Vegas “para sempre”, com artistas como Bette Midler e Shania Twain, entendeu imediatamente. “Quando estávamos conversando sobre qual seria o próximo movimento ao vivo para Britney, Larry – que realmente é um dos grandes empresários – e eu, conversamos sobre ir a Vegas e como isso seria”, lembra Light. “Entramos em contato com várias propriedades, e as primeiras respostas – e lembre-se de que não era como hoje – eram, na melhor das hipóteses, indiferentes. Certamente não se encaixava no modelo do Colosseum, não havia Park Theater e a única outra sala aberta a ela era no Planet Hollywood”.

“Era um elefante branco”, diz Rudolph sobre o subutilizado teatro Planet Hollywood, que acomodava 7.000 pessoas. “Quando entrei lá, estava empoeirado e parecia uma merda. Eu basicamente disse: ‘Ei, parece que não foi tocado em 40 anos’. E eles basicamente disseram: ‘Bem, isso é porque não foi tocado em 40 anos’. Então eu disse: ‘Tudo bem, a única maneira de fazermos esse teatro e esse novo show é se conseguirmos algum dinheiro para melhorias estruturais”.

Britney Spears no Planet Hollywood em 26 de fevereiro de 2016

Caesars também teve a visão. “O CEO era Gary Loveman, que era um cara muito inteligente”, relembra Light. “Ele fez uma aposta de que isso iria funcionar e investiu US$ 20 milhões nesse teatro. 18 meses depois você não conseguiria encontrar um quarto do hotel vazio. Foi reservado por dois anos”.

“Investimos pesadamente na produção”, acrescenta Rudolph, “para um show em um teatro de 4.400 lugares. E nós construímos da maneira certa. Nós fizemos isso espetacular ”Isso incluiu ter Baz Halpin (cujos clientes são Taylor Swift, Pink, Black Sabbath e Katy Perry) como diretor criativo e de palco para o show, Marco Morante como figurinista, e um video wall de 360 ​​graus.

Imagem relacionada

Light compara o show a um antecedente mais histórico. “Lembre-se do ‘Jubileu’ de Donn Arden, sem as dançarinas e os enormes chapéus de cabeça dos velhos tempos”, diz ele, “mas estava levando aqueles grandes shows de produção e trazendo-os para o século 21 para esse público e feito de forma brilhante. Aqui está o que eu me lembro sobre a primeira noite mais do que qualquer coisa”, continua Light. “Quando ela saiu, todos se levantaram, algo inédito para um show de Vegas. Foi uma festa a partir do segundo que começou. Fiquei surpreso porque estou tão acostumado com um público de Las Vegas sentado em seus assentos e dizendo: ‘Entretenha-me’. Não foi isso”.

O que fazem Lady Gaga, Dave Chappelle, Bryce Harper, Danica Patrick, Bobby Flay, Sofia Vergara e Joe Manganiello, Shania Twain, Nasim Pedrad, Peaches, Jeff Dunham, Jeremy Scott, Julianne Moore, Nuno Bettencourt, Kelly Minka, Melissa Joan Hart , Tamar Braxton, Skrillex, Abby Wambach, Arnold Schwarzenegger, Miss EUA Nina Sanchez e o falecido Florence Henderson terem algo em comum? Não muito, na verdade, mas eles estavam entre os milhões de donos de ingressos clamando para ver a residência de Britney, “Piece of Me”, em Vegas.

“Certa noite, eu estava com Britney nos bastidores”, lembra Rudolph, “e eu a levava para o palco e, enquanto literalmente me despedia, disse: ‘Ah, Jay-Z e Beyoncé estão na primeira fila’. Ela disse não! O que!? Por que você não me contou? Eu não posso sair daqui. E eu digo: ‘É por isso que não te contei. Eu não queria que você tivesse tempo para pensar sobre isso, agora apenas saia e se apresente. E ela ficou tipo “Seu filho da puta”, com um sorriso no rosto. E então, claro, ela saiu e Jay e Beyoncé estavam sentados bem ali. E Dave Chappelle (comediante) estava lá naquela noite também. Mas foi assim que rolou. Todo mundo queria ver isso”.

beyonce-britney-jayz01

Beyoncé e Jay-Z com o comediante Dave na Piece of Me

Após o encerramento do show em 31 de dezembro de 2017, Spears embarcou na turnê de verão “Piece of Me” por vários motivos. Número um”, diz Rudolph, “terminamos o show e ela teve um ano inteiro de folga. E ela queria fazer alguma coisa. Então falamos sobre isso. Muitas pessoas na costa leste e na Europa não conseguiram ver o show. Simplesmente porque nem todo mundo tem a capacidade de entrar em um avião e vir para a Costa Oeste”.

E como Light da CAA apontou, a maior parte do show já havia sido construída. “Pense no custo de apenas construir um palco e ensaia-lo”, ele diz, “isso é uma grande parte do custo. Nós não fizemos o show exato de Vegas, você nunca pôde refaze-lo fora da cidade porque foi construído em um teatro e para um teatro específico, mas nós pegamos muitos desses elementos, então o show foi construído e ensaiado, e os custos normais que são amortizados se foram ”.

Enquanto a turnê estabeleceu recordes em lugares diferentes entre seus locais transatlânticos, Rudolph recorda um show em particular: “Ela adorava tocar no Radio City”, diz ele. “E é engraçado, porque eu a lembrei quando chegamos lá. ‘Você sabe o que aconteceu da última vez que esteve aqui?’ Ela disse: ‘Não, o quê?’ Eu disse: ‘Você beijou Madonna’. E ela começou a rir e disse: ‘Meu Deus, vou dizer algo sobre isso quando for lá.’ E ela fez e foi muito fofo. Ela disse algo como: ‘Ei pessoal, adivinha o que eu fiz da última vez que estive aqui?’ A plateia fez uma pausa e ela disse: ‘Eu fiquei com a Madonna’.”

A turnê “Piece of Me” estabeleceu recordes do Sands Bethlehem Event Center, passando por Brighton, no Preston Park, Reino Unido, até a Göransson Arena, na Suécia, onde bateu um recorde de longa data mantido pelos Scorpions. A turnê também está indicada para o People’s Choice Awards. Tudo isso nos leva à recém-anunciada nova residência no Park Theatre, que o Team Britney está trabalhando juntos.

Britney performando na sua residência “Piece of Me” em 2016

“Acabamos de ter nossa primeira sessão completa ontem com o NappyTabs por algumas horas ontem de manhã”, diz Rudolph fazendo referência a Tabitha e Napoleon D’umo da Funky Monkey Productions, os diretores criativos da nova residência que não só desenvolveram a dança hip-hop lírica, mas também trabalharam no “So You Think You Can Dance”, “America’s Got Talent” e a residência “All I Have” de Jennifer Lopez, além de outras produções.

“Nós passamos pelo primeiro rascunho de criações, nos sentamos, discutimos ideias e Britney surgiu com um milhão delas. Eles vieram com um milhão de ideias. Temos um título provisório, narrativa, visuais, set lists e tudo agora. Mas é muito cedo para falar sobre isso. Eu posso te dizer apenas isto: Vai ser diferente do show ‘Piece of Me’. Vai ser um pouco mais “street”. Um pouco mais rítmico. Vai fazer se sentir um pouco mais renovado. Mas ainda será um grande show clássico de Britney. Você saberá todas as músicas, os visuais serão incríveis, ela estará em 110% em termos de performance. Você vai ter dançarinas incríveis, figurinos, cenários, vídeo, som – tudo incrível. ”

Mas além de todos os valores de produção de primeira linha de Spears, conteúdo forte e performances universalmente louvadas, o cerne do que a conecta a legiões de fãs que viajam para Vegas é algo muito mais visceral, pessoal. “Para uma enorme faixa de uma geração, Britney representa algo incrivelmente importante para suas vidas”, diz Light. “Sua performance as leva de volta e faz com que elas se sintam bem. Ela se conecta nesse nível.

Comentários do Facebook
Licença Creative Commons
Este texto autoral está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.britneyonline.com.br.