Como noticiamos anteriormente, Britney está tentando retirar seu pai, James Spears (mais conhecido como Jamie Spears) de sua conservadoria através de uma petição no seu caso, que veio a público ontem (18/08). Ainda não sabemos se ela vai conseguir de fato afastá-lo, mas podemos dissecar um pouco as informações oficiais sobre o quanto esse negócio também foi/está sendo lucrativo para Jamie.

Quando a conservadoria teve início em 2008, ficou acertado que um salário seria pago a Jamie – afinal ele deixaria de viver sua vida para cuidar da filha e precisava de alguma fonte de renda. De acordo com a People, através de documentos oficiais, o pai de Britney começou recebendo um salário de US$10 mil dólares por mês, após deixar de trabalhar numa empresa de comidas prontas/eventos. À época, a iniciativa foi bem vista pelos fãs e pela mídia, já que era um trabalho em tempo integral.

Posteriormente, esse valor teve um aumento para US$16 mil dólares por mês, além de US$1.500 dólares para aluguel de escritório.

Em 2011, pouco antes do início da Femme Fatale Tour, Jamie pediu a juíza Reva Goetz um novo aumento de salário porque, segundo ele, “estaria basicamente dirigindo e administrando a logística da turnê.” Enquanto na The Circus starring Britney Spears existiam cerca de cinco pessoas administrando a turnê, na Femme Fatale Tour seriam apenas duas.

Britney se apresenta durante a Femme Fatale Tour em São Paulo.

Não foi relevado publicamente se ele conseguiu esse aumento, mas o TMZ reportou que Jamie recebeu mais de meio milhão de dólares (exatos US$537,987.37) por todo seu trabalho na turnê de 2011, que incluíram: lidar com finanças, segurança pessoal de Britney, e cerca de 400 ligações para cuidar do bem estar da sua filha. No total, ele recebeu o equivalente a 2,5% de toda a arrecadação da turnê, sendo 0,95% oriundos da arrecadação total da turnê (que arrecadou cerca de US$70 milhões de dólares), e ainda 2% vieram dos 10% destinados a Larry Rudolph, que é o empresário de Britney. O TMZ disse à época que Larry concordou em dar uma porcentagem da sua remuneração por Jamie ter sido o responsável por fechar o contrato com a Live Nation, a produtora dessa turnê.

Já para Las Vegas, Jamie conseguiu aprovação do tribunal para receber 1,5% de toda a arrecadação da residência. Lembrando que a residência em Las Vegas arrecadou US$137 milhões de dólares, sendo uma das residências de maior sucesso da história. Isso sem contar a mini-turnê “Piece of Me”, que levou o show de Las Vegas para alguns países em 2018, arrecadando cerca de US$55 milhões. É provável que a mesma porcentagem do acordo anterior tenha permanecido. Esse show também foi produzido pela Live Nation.

Tribunal descreve que 1.5% da bilheteria da “Britney: Piece of Me” irá para Jamie.

Para uma pessoa que nunca tinha trabalhado na indústria da música, ele recebeu bastante dinheiro, não é? Contamos PELO MENOS US$4 milhões de dólares para sua conta pessoal.

A juiza deve decidir em breve o destino de Jamie dentro da conservadoria…